well

hora d'almoço #1

© Sophie Calle, The Chromatic Diet, Monday

seta despedida

O tempo é um passo
Que em seu próprio espaço
Cabe.
Com ele partimos
E nele regressamos
Cumprindo o indirecto plano
Da reintegração:

É a flecha
Desferida do arco de toda a invenção.


Ana Hatherly
Fui feliz naquela casa repleta de flores
e de livros proibidos. A casa em que tu eras
Ginevra nos nossos jogos, e eu era o rei Artur
(não havia Lancelote para arruinar tudo).
A casa onde foste donzela das minhas ânsias,
senhora dos meus suspiros, muralha em meu peito,
cofre do meu tesouro, brinde dos meus soldados.
A casa que tinha uma arca misteriosa
que guardava o segredo da sabedoria
e do amor eterno, e a droga da fé,
a taça do esquecimento, o cálice da coragem.
A casa onde, à tarde, com sonhos partilhados,
enquanto a roupa dourava ao sol lá na varanda,
te nomeei soberana de um reino em que a noite
não existia e a morte não ditava as leis.


Luis Alberto de Cuenca, Uma Vida em Chamas, trad. Miguel Filipe Mochila

Actua I, Philippe Garrel, 1968

being a girl is like

© Juno Calypso, Seaweed Wrap da série The Honeymoon, 2015

North by Northwest, Alfred Hitchcock, 1959