Actua I, Philippe Garrel, 1968

my hours are slumberless

Outra maldita tarde
de domingo, uma destas
tardes que escolherei
um dia para me pendurar
do último prego a arder
da minha angústia.
Na rua
famílias com crianças,
pais e mães
muito satisfeitos
de seu recém-cumprido
dever eleitoral;
gente dobrada sobre rádios
que cospem dados, percentagens
em bancos.
Carneiros a caminho do matadouro
dando a arma a escolher
ao carniceiro.


Roger Wolfe
As palavras têm rosto: ou de silêncio ou de sangue.
O cavalo que nos domina é uma sombra apenas.
Sem sílabas de água, avança até ao outono.
Uma árvore estende os ramos. As nuvens subsistem.

O cavalo é uma hipótese, uma paixão constante
Na rede das suas veias corre um sangue de tempo,
uma árvore se desloca com a alegria das folhas.
Árvore e cavalo transformam-se num só ente real.
Eu que acaricio a árvore sinto a força tenaz
da testa do cavalo, a eternidade férrea,
o ser em explosão e eu tão leve folha
na sombra deste ser animal vegetal
busco a razão perfeita, a humildade estática,
a força vertical de ser quem sou e o ar.


António Ramos Rosa

b'noite

The Florida Project, Sean Baker, 2017
Que chegámos demasiado tarde ao coreto
da vida para sonhos e cantigas de libertação
revulsionária, percebemo-lo aos vinte anos;
que justiça é uma jura redigida em esperanto
e a lei o duro eixo onde circula o privilégio,
percebemo-lo depois, muito a contragosto.

Resta-nos perder a última ilusão: a de que haja
ainda espaço nesta feira popular da mediocracia
para uma escrita que não seja celebração
do estridente carrossel publicitário,
dos económicos carrinhos de choque,
da barraca de tiro em que fazemos de patos.
Quando percebermos também isto, saberemos
que a Gloriosa Era da Literatura Ocidental
chegou ao fim, derretida (como sugere
o seu acrónimo) pelo aquecimento da sandice
global, que não viemos aqui para tentar reanimar o moribundo, mas alegrar um velório.
Está na rua o funeral. Ninguém nos paga
para isto, verdade, mas o morto merece.
Se queremos brilhar ainda um pouco, é agora
ou nunca. Afinemos as cordas, as lágrimas,
em dó sustenido. Vamos tentar dar o nosso melhor.


José Miguel Silva

hora d'almoço #2

© Sophie Calle, The Chromatic Diet, Tuesday
Actua I, Philippe Garrel, 1968
My Little Chickadee, Edward F. Cline, 1940