sr. gato

Já não assobias à passagem dos barcos. Cada vez mais, as mãos recolhem aos bolsos. A bicicleta repousa, talvez para sempre, na velha garagem. Os húmidos campos amarelos sucumbem às queimadas. Os dias, esses, impiedosamente azuis.
Só a música de um fiozinho de luz te sustenta.


Mário Rui de Oliveira, Poemário Assírio e Alvim 2010