assombro

Ihilla disse:

"Quem conheça o rugido do tigre que não se detenha na bufonaria das caretas, porque as suas presas abrirão a alma do assombro."

"Em troca, quem conheça o seu rugido que procure noutro inferno o paraíso, porque na verdade o que nos comove aqui é o silêncio que fica nas suas fauces depois do estertor, esse que com fios de sangue nos mostra o cadáver dos querubins que foram apanhados por caminhar na sombra."


Álvaro Miranda