Foi para ti que criei as rosas.
Foi para ti que lhe dei perfume.
Para ti rasguei ribeiros
e dei às romãs a cor do lume.

Foi para ti que pus no céu a lua
e o verde mais verde nos pinhais.
Foi para ti que deitei no chão
um corpo puro como os animais.


Eugénio de Andrade