Mas a angústia é património da espécie humana. A angústia ante a perspectiva de desaparecer do olhar dos outros e do próprio olhar ante o espelho, elho, elho, elho. Angústia ante a possibilidade de que desapareçam os objectos vivos ou inertes que mais desejamos olhar.


Lázaro Covadlo, Criaturas da noite